segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Apocalypto

De: Mel Gibson. 2006.
Com: Rudy Youngblood, Dalia Hernandez, Jonathan Brewer, Morris Birdyellowhead, Carlos Emilio Baez, Ramirez Amilcar, Israel Contreras, Israel Rios, María Isabel Díaz e Espiridion Acosta Cache.
Sinopse: Jaguar Paw (Youngblood) levava uma vida tranquila, que foi interrompida devido àuma invasão. Os governantes de um império maia em declínio acreditavam que a chave para a prosperidade seria construir mais templos e realizar mais sacrifícios humanos. Jaguar é capturado para ser um destes sacrifícios, mas consegue escapar por acaso. Agora, guiado apenas pelo amor que sente por sua esposa e pela filha, ele realiza uma corrida desesperada para chegar em casa e salvar sua família.
Crítica: Excelente trabalho de Mel Gibson nessa sua nova empreitada, o filme começa de forma curiosa, quando somos apresentados os personagens maias e o modo de vida deles, seus costumes, etc..depois de uma meia-hora é que o bixo pega, e o filme diz a que veio de forma conscistente, a história fica muito envolvente e mais interessante de se acompanhar, passamos a torcer para o personagem principal (Youngblood) - fato inevitável pra quem está gostando do filme até então - apesar do ator ser desconhecido, rapidamente se pega simpatia pelo cidadão, os momentos de ação são ótimos, aquela sequência da "corrida para a morte" foi show, em seguida a caçada pela floresta que se inicia depois, termina por encerrar muito bem o filme, sem falar nas altas doses de violência, força bruta e selvageria ao longo do mesmo, na qual achei tudo muito válido, dando assim uma maior credibilidade as cenas retratadas (tinha que ser tudo daquela forma mesmo), outro fato que chama a atenção é o espantoso trabalho de direção de arte, figurinos, maquiagem (merecidamente indicada no oscar) e a ótima e intensa trilha sonora, e o significado do título da produção ficou muito bem explicado, enfim, ao meu ver, Mel com esse filme dá aquele tapa na kra dos críticos de plantão que já estavam malhando seu trabalho antes mesmo do longa ficar pronto, (segundo informações que li na época que a produção estava sendo filmada), subestimando essa grande aventura (que é o que o filme é) de alta qualidade, entertenimento puro, que pra mim foi uma experiência bastante significativa e compensadora de ter assistido, mesmo não tendo levado a nota máxima, o filme já entrou pra lista dos inesquecíveis da minha vida. Enfim, espero que Mel continue nos proporcionando mais filmes desse naipe, também já tinha adorado o seu anterior "A Paixão de Cristo", da minha parte não tenho nada a reclamar, o kra vai muito bem obrigado na carreira de diretor.
Nota 8.0!
Filme Visto em Janeiro/2007

Um comentário:

alekzandor disse...

O interessante da história é notar como o ser humano é suscetível às leis da natureza tanto quanto os animais, e uma destas leis diz que as espécies mais bem adaptadas se subrepujam às menos adaptadas. No caso do filme não são espécies, mas tribos. Pode parecer cruel mas é a realidade da vida e da seleção natural, e tudo o que resta é o instinto animal de querer sobreviver a qualquer custo e salvar sua prole. Muito bom este filme - e o blog também Dew. Show de bola. Grande abraço, Alek.