segunda-feira, março 23, 2009

Street Fighter - A Lenda de Chun-Li

De: Andrzej Bartkowiak. 2009.
Com: Kristin Kreuk, Chris Klein, Neal McDonough, Robin Shou, Moon Bloodgood, Josie Ho, Taboo, Michael Clarke Duncan, Pei-pei Cheng e Edmund Chen.
Sinopse: O filme mostra Chun-Li na busca do vilão Mister Bison, que sequestrou seu pai e mantém uma organização secreta nos Estados Unidos.
Crítica: Que bomba!!! É a primeira impressão que marca o término dessa nova adaptação do game "Street Fighter" pra telona, continua complicada e difícil a missão de realizar algo que preste baseado no game (na qual joguei muito e era viciado na década de 90). Achei pior que o anterior com o Vandamme, que já foi ruim e lastimável a barbaridade que fizeram, porém, me foi divertido e hilariante o festival de babaquice do roteiro e o apanhado de personagens soltos ao vento sem nenhum cabimento na trama capenga, horrorosa, ridícula e sem noção que deram ao filme de 1994, nesse aqui basearam o roteiro na personagem Chun-Li, a história é centrada nela e na sua busca de vingança ao seu algóz, Bison, que raptou seu pai quando era criança, tudo muito simples e rasteiro, pra quem já conhece, não verá nenhuma novidade na história sem profundidade alguma.


Filmado em Bangkok, a cidade é bem explorada por meio das locações, um dos raros pontos positivos do longa, a nível de lutas (razoáveis e olhe lá - com uso de cabos) se vê em cena alguns golpes e malabarismos da protagonista da mesma forma que era no jogo e só, por que a maioria das cenas de ação deixam muito a desejar. Mas o que tem de pior no filme é o elenco, impressionante o festival de péssimas atuações, é uma tristeza ímpar ver o povo que aparece nesse filme pagando mico, vou começar pela Chun-Li: interpretada pela fraquíssima Kristin Kreuk, sem carisma e muito a quem da personagem ao meu ver, Ming-Na no filme de 94 foi bem melhor no meu ponto de vista, e o Vega hein? puts, ficou a cargo do "Taboo, integrante do "Black Eyed Peas", que aparece na cena mais constrangedora e tosca do filme, se o Vega do outro filme já tinha sido brabo, esse então conseguiu superar de lavada, que momento comédia quando o Vega entra em ação..rsrs..

Michael Clarke Duncan de "Balrog" ficou lamentável (sem dúvida o pior momento da carreira desse ator da obra prima "A Espera de um Milagre") e o chinês Robin Shou (astro principal de "Mortal Kombat 1 e 2", outra adaptação de game) aparece completamente desperdiçado no papel do orientador/mestre da heroína e com péssima aparência (cabeleira tosca e bigodinho sacana..rs..), Chris Klein como "Charlie Nash" é outro que contribui muito na medíocridade, mas o que dizer do vilão Bison (vivido por Neal McDonough), p.q.p, candidatáço (praticamente eleito) a pior vilão de 2009 (de todos filmes lançados) e vou mais além, de todos os tempos também, é de doer o tratamento dado ao personagem e o ator escolhido para tal, é disparado a coisa mais bizarra do filme (que saudades do Raul Julia..rsrs..).


E pra piorar, faltou caracterização, figurino e poderes para os personagens, fidelidade zero nesse aspecto, e o diretor Andrzej Bartkowiak até que tem alguns filmes decentes de ação no currículo que é o caso de "Romeu Tem Que Morrer" e "Contra o Tempo" com Jet Li e "Rede de Corrupção" com Steven Segal, mas depois desses o kra fez a bomba "Doom - A Porta do Inferno" (também baseado em game), comprovando que adaptação de jogos não é a praia do diretor. Enfim, a esperança é a última que morre, não foi dessa vez que se viu um filme digno e fiel ao jogo, na qual nem era o caso, pois se sabia que a história não iria trazer todos personagens, mas quem sabe no futuro alguém resolva fazer algo que preste e que o roteiro parta do ponto de realizar um torneio de artes marciais com os maiores lutadores do planeta, que seria a deixa pra explorar cada personagem do jogo, basta inspirar-se nos filmes de torneio mais antigos do Vandamme tipo: "O Grande Dragão Branco" e "Desafio Mortal" e pegar como base, pois creio que o objetivo do game é esse, portanto, por que não fazer igual em filme, pra que complicar se o negócio é tão simples..hehe..

Nota 2.5!
Visto em Março/2009

4 comentários:

Sílvio Tavares disse...

Putz, Diegão, esse parece ruim de doer MESMO. Mas todos sabíamos ser extremamente arriscado fazer um filme de um game que se tornou clássico (e que contrapunha com Mortal Kombat por exemplo, justamente por não ter personagens de carne e osso, mantendo uma magia típica e peculiar de sua natureza).

Diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dewonny disse...

Pois é kra, conseguiram fazer algo pior do q aquele com o Vandamme, já o MK achei legal e bacana o primeiro, o segundo foi brabo..rs..valeu pela visitinha..abs!

Dewonny disse...
Este comentário foi removido pelo autor.