quinta-feira, abril 30, 2009

Chocolate

De: Prachya Pinkaew. 2008.
Com: JeeJa Yanin, Ammara Siripong, Hiroshi Abe, Pongpat Wachirabunjong, Dechawut Chuntakaro, Anusuk Jangajit, Kittitat Kowahagul, Taphon Phopwandee, Pirom Ruangkitjakan e Hirokazu Sano.
Sinopse: Uma jovem mulher autista, metade Tailandesa, metade Japonesa, filha de um Yakuza, e apaixonada por chocolate e filmes de artes marciais, revela ter dons especiais e reflexos apurados. Ela começa a treinar imitando movimentos de filmes. Quando ela testemunha o espancamento da mãe por alguns gangsters, suas habilidades se tornarão necessárias, já que confrontos reais surgirão muito além da televisão.
Crítica: Prachya Pinkaew vai muito bem obrigado no gênero artes marciais dos seus filmes, sem dúvida é o diretor de maior evidência na Tailândia nesse aspecto, o crescimento do cinema de ação desse país se deve muito a ele, com filmes como "Ong-Bak" e "O Protetor" na qual ficamos conhecendo o astro Tony Jaa, aqui ele nos mostra seu trabalho sob o ponto de vista feminino colocando uma atriz fazendo o que já vimos Tony Jaa fazer: distribuir porrada..hehe..num filme que é o mais fraco do diretor, mas nem por isso menos importante e altamente apreciável, pra mim foi uma grande surpresa pois esperava menos do filme que acabou indo além das minhas expectativas, foi sensacional ver uma garota praticando e usando da melhor forma possível o estilo Muay Thai de luta marcial, na qual havia ficado impressionado e maravilhado nos filmes aí citados.
O enredo do filme conforme diz a sinopse é bem simples e sem muito aprofundamento no lance do autismo na qual sofre a garota, coisa bastante aceitável em filmes do gênero, por que pra mim o que importa mais é a pancadaria e cenas de luta, a história pode ficar em segundo plano na avaliação que não tem problema algum.

No ínicio do longa se vê uma pequena introdução dos fatos, apresentação dos vilões, nascimento, e já na fase adolescente a condição de vida da protagonista, coisa rápida até começar o que importa, dali pra frente é só luta, a atriz JeeJa Yanin se sai muito bem no seu filme de estréia, a jovem que tem 25 anos (no filme aparenta ter uns 16) luta pra caramba e tem uma atuação bem satisfatória, demonstrando uma ótima agilidade física e flexibilidade nos movimentos e proezas de se enfiar, entrar e lutar em lugares complicados e impróprios de se imaginar, coisa que fez lembrar muito o Jackie Chan que também faz muito disso nos seus filmes.

Mas as lembranças não param por aí, se vê várias referências à outros filmes e astros, a sequência de luta do depósito de caixas é uma clara homenagem aos filmes do Chan, Bruce Lee também é lembrado na primeira sequência de luta onde a protagonista solta uns gritinhos após meter porrada em alguém, achei muito legal, a sequência final lembra bastante do clímax de "Kill Bill", a temática do ambiente é praticamente igual, mais o que tem mais mesmo é Tony Jaa, óbvio, aparece cenas do filme "O Protetor" por exemplo, na qual a protagonista se inspirou, sem falar do estilo de luta já mencionado.

O estilo Muay Thai que a garota pratica é novamente muito bem apresentado na distribuição de porrada, numa variação de golpes de joelho, cotovelo e pernas, alguns em "slow motion" pra dá mais ênfase no golpe, coisa que achei bem bacana pois esse recurso não foi muito usado, tem vezes que demais enche o saco, mas aqui souberam dosar bem esse efeito que dá aquele toque a mais de qualidade nas coreografias muito bem realizadas, as cenas de luta são empolgantes, pra quem curte é um prato cheio, um dos grandes momentos do filme é quando a heroína enfrenta um adversário à altura (coisa que carece no fime, já que ela mais bate do que apanha), mas tem esse cidadão (que também aparenta ter problemas mentais) que dá um certo trabalho, dono de um estilo doido de lutar, na qual chamei de "capoeira epilética" ..rsrs..é meio engraçado os movimentos do rapaiz, momento que se vê a mão do diretor na criação de algo novo, em "Ong-Bak" eu já tinha visto o Tony Jaa enfrentar tipos esquisitos na primeira sequência de luta do filme.

Enfim, gostei muito, foi prazeroso assistir essa produção, vendo a garota lutar, já fiquei imaginando um filme com ela e Tony Jaa juntos..hehe..seria o máximo, pancadaria pura a vista, na qual pensei também nos personagens e no roteiro, eles poderiam ser irmãos que tinham que se vingar de uma gangue que massacrou a vila onde nasceram matando todos habitantes inclusive seus pais, hahaha, viajei, mas não custa nada sonhar!

Porém, espero que JeeJa Yanin não pare por aqui e que faça outros filmes desse nível, adorei conhecê-la que aparece sempre muito mal vestida, suja e sem maquiagem no filme, mas olhando fotos dela na net (coloquei abaixo uma foto bacana dela), a jovem atriz é bonita e carismática. E viva o Prachya Pinkaew (eita nomezinho..rs..), já sou fâ desse diretor, que faça mais filmes do gênero, os adoradores de filmes de artes marciais agradecem!!!


Nota 8.0!
Visto em Abril/2009

6 comentários:

- cleber . disse...

Meu Deus do Céu !

Kamila disse...

Que premissa mais bizarra. Porém, o filme parece ser até legal!

Takeshi disse...

Este filme consegue superar Ong Bak no quesito atuação da personagem principal. Jeeja é fantástica e o roteiro sabe aproveitar muito bem as sequências de ação com os poucos diálogos. Este vale a pena assistir. E preparem-se: vem vindo aí (ou melhor, já vieram) uma avalanche de cópias japonesas e chinesas em cima dessa obra de Prachya Pinkaew.

Charles M. Helmicj disse...

Fala Diego!

Que filme doido, hein. Mesmo tendo gostdo de O Protetor, esse parece até mais interessante. Mulheres distribuindo é algo bastante incomum - e sensual dependendo do filme, rs. Aquela cena ali da sala é muito alusiva ao Kill Bill.

abs.

Alex Gonçalves disse...

Denis, este filme já chegou no nosso país? Queria muito assistir. Gostei de saber de certa similaridade com "Kill Bill" que há no filme. A quinta imagem que ilustra o seu post, por exemplo, de fato parece muito com o clímax do "Vol.I".

Abraços, excelente semana!

Dewonny disse...

Kamila, pra mim a premissa foi o de menos, o que valeu mais são as ótimas cenas de luta..hehe..

Takeshi, realmente, a Jeeja se sai muito bem no papel..

Charles, vale a pena conferir, tbm curto muito ver mulher lutando..hehe..e sim, a cena citada lembra muito aquela do Kill Bill..

Alex, vc errou meu nome, mas td bem..rsrs..e esse filme até onde sei ñ veio pro Brasil de maneira oficial, mas procura na rede q vc acha pra baixar, e a cena q lembra o Kill Bill ñ passa desapercebida, o ambiente onde acontece as lutas é bem parecido msm, na qual achei muito bacana!

Flw galera!
Abs! Diego!