sexta-feira, abril 13, 2007

Casa Vazia

De: Kim Ki-Duk. 2004.
Com: Lee Seung-yeon, Lee Hyun-kyoon, Kwon Hyuk-ho, Choi Jeong-ho.
Sinopse: Um jovem vagabundo invade a casa de estranhos e mora nelas enquanto os donos estão fora. Para pagar a estadia ele realiza pequenos consertos ou faz limpeza na casa. Ele costuma ficar um ou dois dias em cada lugar, trocando de casa constantemente. Até que um dia encontra uma bela mulher em uma mansão, que assim como ele também está tentando escapar da vida que leva.
Crítica: Grande Kim Ki-Duk, já fiquei fã desse kra (pra quem não se tocou, é o mesmo diretor de "Primavera, Verão, Outono, Inverno... E Primavera" - também visto nesse mês e muito bem elogiado por mim), aqui o kra consegue entregar um filme ainda melhor, a premissa da história é sensacional, poética e bastante original, nunca vi nada parecido, logo que o filme inicia e passamos a acompanhar as jornadas deste vagabundo..rsrs..que vive de casa em casa, o nosso interesse só aumenta no passar dos minutos em alto grau de intensidade, achei a idéia espetacular, muito bem bolada, sem falar em diversas sacadas que o diretor coloca dentro desse contexto dando aquele toque a mais de criatividade e inteligência (tipo: adorei a formula de como saber que uma casa estará vazia a noite..hehe..entre outras coisas que me nego a comentar..rs..), a dupla principal está perfeita em cena, o rapaz que invade as casas rapidamente ganha a simpatia do espectador, a mulher amargurada que vive um casamento sofrido assim que aparece nos passa um sonoro e profundo sentimento de pena devido as condições que ela se encontra (fica tudo muito claro a situação que ela está passando), diálogos no filme são pouquíssimos (característica do diretor percebida levando em conta seu filme anterior citado), o kra ao meu ver consegue provar que é possível existir comunicação sem o uso de palavras, e sim com atitudes, olhares e sentimentos demonstrados, o que valoriza ainda mais as imagens e movimentos, nessa interessantíssima relação de cumplicidade mútua que ocorre entre os personagens principais, e não para por aí tudo que esse filme tem de bom a nos oferecer, na sua metade acontece uma queda no desenrolar dos fatos, o que estava bom é meio que interrompido (nos é jogado um balde de água fria - mas com muito boa intenção, basta aguardar os próximos minutos pra entender o por que), aquilo que passamos a ver em seguida com um pé atráz (entra o fator "surreal" dentro contexto), acaba se transformando em algo fundamental para o brilhante desfecho que o diretor dá ao seu filme, o final é tudo de bom, simplesmente maravilhoso os 5 minutos finais do filme, é claro que, tem que se entrar no clima para ter essa impressão, eu achei simplesmente show de bola, hehehe. Tipo: Kim Ki-Duk veio pra arrebentar, não vejo a hora de ver os outros filmes desse coreano que não brinca em serviço no assunto: filmes de arte de altíssima qualidade!!! Vi apenas 2 filmes dele, e fui obrigado a tirar o chapéu para ambos. Fala Sério!!!
Nota 9.0!
Filme Visto em Março/2007

Um comentário:

Rodrigo Siqueira de Souza disse...

Valeu Diego! Ótimo Blog!!!